sábado, 24 de janeiro de 2009

0

Em dois anos, passei por ele umas duas vezes de carro e vi-o de fugida num centro comercial. Mais nada. Dois anos. Nem um "olá", nem uma mensagem de Natal, nada. Ontem, quando entrei no bar reparei que ele lá estava. Dois anos depois estávamos os dois no mesmo sítio e não havia como fugir. Passou por mim duas vezes, sempre com os olhos no chão. E eu, que tanto medo tinha deste reencontro, não senti nada. Nem saudades, nem carinho, nem amor, nem pena, nem amizade, nem ódio...Já nem o consigo odiar.

2 comentários:

P. disse...

ahum..

no fim de contas.. foi positivo, não? vá, no sentido em que deu para perceber que já não sentes nada..

coiso.

Madeline disse...

Abracinho.