domingo, 15 de junho de 2008

Queria muito...

...escrever sobre a Feist.
...agradecer o bilhete oferecido horas antes do concerto, quando já estava mentalizada que não conseguiria ir.
...tentar explicar tudo o que senti e o quanto gostei de entrar naquele mundo cor-de-rosinha durante duas horas.
...contar como foi a noite de Santo António, dizer que andei quilómetros e quilómetros, que não comi sardinhas, que não vi as marchas, que não dei moedinhas ao São para me arranjar um noivo e que pedi boleia à descarada em pleno Cais Sodré, só percebendo depois que era um puto dos morangos que me estava a levar a casa.
...mostrar o escaldão brutal que apanhei no sábado e repetir muitas vezes que sou burra e estúpida.
...descrever a minha cara de parva quando, hoje às oito da manhã, a C. me bate à porta do quarto, diz que está ali "alguém" e que, de repente, a pessoa mais improvável do mundo está sentada na minha cama.
...conseguir perceber esta amizade, perceber porque motivo as coisas que ele faz me afectam tanto e queria mesmo muito poder abrir a boca para dizer que ele é apenas meu amigo, sem sentir um peso na consciência por estar a mentir.

3 comentários:

P. disse...

queria mt dizer qq coisa q ajudasse a dissipar algumas dúvidas.. mas n me parece possivel faze-lo..

resta-me dizer q és uma PORCA q foi ver a feis. o q vale é q me ligaste, mm q n se percebesse q musica era.. lol

luv u mt (L)

Madeline disse...

Já dizia a minha avó... Quem não quer o que Deus quer, há-de querer o que Deus quiser.

Um dia... um dia, vais anuir à primeira, quando te disser as coisas ainda com léguas de distância. Porque há amizades assim, que não importa onde estejas ou que cor de cabelo tenhas, eu acabo sempre por te "encontrar", seja literalmente ou não.


Beijinho, gorda.

Pilipa disse...

P., Era a Gatekeeper!

madeline...nem posso comentar...(L)